Para Pensionistas ou Titulares de Rendimentos.

As autoridades portuguesas lançaram o programa Visto D7 em 2007 para incentivar os pensionistas e titulares de rendimentos a residirem em Portugal.

Quem se pode candidatar?

Os Vistos D7 estão disponíveis para cidadãos fora da UE/EEE/Suíça com um rendimento regular de investimentos financeiros, arrendamentos e outros investimentos.

Qual é o rendimento mínimo necessário?

Este tem de ser, pelo menos, o salário mínimo português, que em 2022 chega a 9.870 € para o titular do Visto, mais 50% do montante para o cônjuge e 30% para cada filho a cargo.

Como se pode candidatar para um visto D7?

As candidaturas são processadas através do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras).

Devido à reestruturação do SEF, é aconselhável entrar em contacto com um advogado ou uma empresa especializada em serviços de imigração para lhe auxiliar devido à

complexidade do processo.

O que é um Visto D7?

O Visto D7 é um visto de residência. O titular deve permanecer por um período de quatro meses para poder solicitar uma autorização de residência.

O que é necessário para par se candidatar a D7?

  • Número de identificação fiscal português (NIF).
  • Faça uma candidatura online através do seu Consulado Português local.
  • Prova de Seguro de saúde privado.

Por quanto tempo a autorização de residência é válida?

Inicialmente, é válido por um ano e pode ser renovado por períodos sucessivos de dois anos. O pedido de autorização de residência permanente ou de nacionalidade portuguesa pode ser apresentado após cinco anos.

Qual é a estadia mínima necessária?

A estadia mínima em Portugal é de seis meses consecutivos ou oito meses não consecutivos por ano.

Quanto custa um Visto D7?

O custo total é de aproximadamente €350 para taxas, mais custos profissionais adicionais.

Quanto tempo demora o processo?

Pode demorar seis meses; no entanto, recomenda-se consultoria com um escritório de advogados especializado ou uma empresa de imigração.

Quais são os benefícios?

  • Residência Permanente após cinco anos, ou a possibilidade de se candidatar a cidadania portuguesa.
  • Viajar livremente no espaço de Schengen, que compreende 26 países europeus.
  • Viver e trabalhar em Portugal.
  • Permite a reunificação familiar.
  • Acesso aos serviços nacionais de Saúde e Educação.

Visto D2

O visto D2 também faz parte do programa de vistos de longa duração, mas é mais adequado para pessoas empreendedoras que desejam abrir uma empresa em Portugal ou expandir seus negócios atuais para Portugal. O candidato deverá apresentar um plano de negócios e comprovativo de fundos acima do salário mínimo português.

Todas as situações individuais são diferentes e os regulamentos mudam. Por conseguinte, o aconselhamento em matéria de imigração deve ser sempre solicitado ao SEF, a uma empresa de serviços de imigração ou a um escritório de advogados especializado. Se necessário temos o prazer de recomendar empresas renome.

 

Como podemos ajudá-lo?

Temos todo o prazer em receber as suas dúvidas e contatos, para que nossa equipa experiente e amigável o possa ajudar.